O resultado das discussões entre enamorados:

Escrevi este texto a mim mesma, para o guardar no meu telefone e para o ler sempre que estiver perante um conflito.

 

Querida Rita,

Se estás a ler isto é porque estás prestes a ter uma discussão com alguém, provavelmente com o teu amor.

Ok, vamos começar por acalmar, já sabes que nunca devemos agir apenas por impulso, mas sim por sabedoria. Escusas de estar com a mania de que acabaste de ser ofendida ou de que tens muitas razões de queixa, o mais provável é nem estares certa! E o que é o certo e o errado? Lembra-te das vezes em que conseguiste realmente colocar-te nos pés do outro e percebeste que não detinhas toda a razão do mundo. Pára de achar que és certinha e perfeitinha e podes exigir dos outros tudo e mais alguma coisa, chega! Não julgues, serás feliz, perdoa serás mais feliz, lembras-te de ler no facebook? Pois, agora é colocar em prática! Lembras-te das alegrias que já passaste com essa pessoa, ai que bom que é, não é? A cumplicidade, os sorrisos, as gargalhadas, as brincadeiras, a alegria e o fazer bem ao outro e receber de volta que sabe tão bem! Então porque é que não aproveitas e transformas este num desses momentos? Vira o jogo! Se esperares de ti uma “boca”, uma frase cheia de ódio e amargura ou qualquer uma dessas coisas que te surgem de vez em quando e NUNCA dão bom resultado, em vez disso dá um beijinho, um abraço, um elogio, faz uma piada, muda de conversa e fala de coisas banais, ou até podes falar do que acabou de acontecer mas nunca com maus sentimentos, nunca quando sentes raiva, quando sentes que foste ofendida, menosprezada ou qualquer desses sentimentos maus que temos ridícula facilidade em sentir! E sobretudo nunca, mas NUNCA fales do que acabou de acontecer a fingir (mesmo que inconscientemente) que não sentes qualquer sentimento negativo e que o fazes de forma calma! Porque as nossas almas compreendem-se umas às outras. Escusas depois de vir prai justificar-te a dizer que tentaste falar com calma. Parecia, mas a verdade não era essa! Já sabes que é praticamente impossível falar sobre uma coisa que acabou de acontecer sem sermos apenas um coração gigante a fervilhar, nestes casos de orgulho e irritação! Vá, estás aí sentada a ler este texto a tentar que ele te ajude no que estás metida, e ainda não percebeste? Volta a trás, não ligues, qual foi o problema? Nada é assim tão importante e tudo é passageiro. Ainda precisas de ler mais coisas? Deixa o outro ser e estar, e lê esta frase as vezes que for preciso. Provavelmente o que quer que seja que tenhas achado errado está cheio das tuas milhares de lentes com que vês o mundo, provavelmente estás a camuflar o verdadeiro problema! E sim, mas que chatice! Já chegámos tantas vezes à conclusão de que o problema está sempre em nós, para que é que estás cheia de vontade de apontar o dedo aos outros? Sim, é verdade, és a Sra perfeição, esforçaste-te tanto para seres perfeita e a maior parte das vezes parece que consegues, até podes ter “razão” mas de que é que vale a discussão? Explica lá. Ganhas a medalha por teres combatido a injustiça? Sentes-te melhor? Fazes o outro sentir-se melhor? Não, não estou a dizer para ignorares obrigatoriamente o assunto, como tu própria dizes: vai dormir e se amanha ainda for um problema então vale a pena pensar nisso. Mas vá, deixa-te de merdas e torna a vida melhor e mais feliz, sorri! Já sabes, se falares, depois a merda já está feita e podes deitar coisas muito importantes a perder com as tuas palavras fáceis e imponderadas.

Lembra-te de estares mais grata e sorridente como estavas no início, não há verdadeira razão para isso mudar. Aprecia os gestos que são feitos por ti e retribui no mínimo com um sorriso. Todos precisamos de reconhecimento. Continua a fazer o máximo de coisas boas que conseguires, tentando sempre não esperar nada em troca, venha o que vier, às vezes pode demorar, mas fazer o bem compensa sempre. Não percas a alegria, afinal porque é que haverias de o fazer?

Mesmo que o outro tenha dito ou feito alguma coisa “má” lembra-te que não faz sentido reagires se o que o outro acabou de fazer foi isso mesmo!

Pára de achar que qualquer pequeno problema é o fim do mundo e que assim não queres mais, fica sabendo que não és a única que tem vontade de fugir a correr ao mais pequeno problema. Mas os problemas surgem, a arte (e a felicidade) é resolvê-los, não fugir, muito menos à espera de encontrar algo melhor. Lembra-te que nas relações todos nos sentimos injustiçados, e quem é que tem razão? Todos e ninguém. Tenta perceber melhor o outro, e é impossível fazeres isso em segundos ou minutos, por isso, quando te disserem algo, uma critica, o que for, espera um pouco e tenta voltar a trás no tempo, imagina-te a viver tudo no lugar daquela pessoa. Pára de te justificar e de te tentar defender constantemente. Se dizes que as relações e as conversas não se têm de uma perspectiva bélica, então põe isso em prática até nos teus recantos mais profundos. Não queiras as coisas todas à tua maneira, isso nunca acontecerá e vais ter de aceitá-lo… E sim, muitas discussões surgem porque inconscientemente queremos o outro à nossa maneira, e isso não resulta, nem sequer tem graça! Tenta arranjar soluções em vez de problemas. Quando estiveres cansada diz e pede colo se quiseres, não comeces a disparatar e a descarregar no outro. Lida melhor com as tuas emoções, em todas as situações do teu dia-a-dia, observa-as e aceita-as, é meio caminho andado para não estares em ebulição. Lembra-te de que se não deixares é impossível que o outro discuta contigo, apenas sozinho. Mas quando estiveres perante uma discussão não vires costas, porque fugir não é resolver problemas. Quando te apetecer gritar ou ir embora há 10 segundos atrás, dá um abraço. Gostas daquela pessoa por alguma razão, certo? O que é que vale esse momento estúpido em que estão dois barris de pólvora a disparar um contra o outro? Isso é impulso, gostar de alguém e manter uma relação é sabedoria.

11028037_935026296539063_3496810482769315204_n

Dá tempo e espaço ao outro, nenhuma relação sobrevive se as pessoas aniquilarem a sua individualidade. A verdade é que não existe ser 1 só, não existe a cara metade, há sempre duas caras, juntas mas diferentes. E se, perante a possibilidade de haver uma discussão, o outro precisa de espaço, dá-lho com gosto, sem mágoas. Se precisares tu, pede-o com jeito e amor, verdadeiro e sem mágoas. A vida a dois está longe de ser um conto de fadas, mas apenas porque temos todos estes desafios pela frente. Basta querer aprender a resolvê-los para que estar com o outro seja muito melhor do que estar sozinho. O que é que vale mais, uma alegria sozinha ou duas alegrias juntas? Mas a alegria requere empenho, e nos momentos em que ela desaparecer de vista, não sejas cobarde e não desistas. Já sabes que desistir perante dificuldades é indesejável, porque é que haveria de ser diferente no amor?

Quando sentires que de facto erraste não hesites em pedir desculpa, essa do orgulho já é tão velhinha e ainda não aprendeste? Nunca deixes de pedir desculpa por orgulho.

Toda a gente faz coisas erradas, não te enerves por causa disso, não só não vale a pena, como produz resultados opostos aos desejados.

Tenta retirar apenas o melhor da relação tão profunda e intima que existe entre duas pessoas unidas pelo coração. Evita que essa intimidade te permita desleixares-te. Mantém o respeito, a cortesia, a boa educação, o cuidado e a atenção.

Evita ver apenas o lado negro das coisas, o “não” ganha sempre ao “sim”, ou pelo menos nós achamos que assim deve ser. Mas a luz ganha à escuridão, certo? Evita pensar nas coisas más, para quê? As boas provavelmente são muito mais em número e muito melhores para nós.

observ

Basta seres feliz e o outro imita. Está contente e o outro imita. Está mal-humorado e agressivo e o outro imita. É simples assim. Por alguma razão que desconheço, agimos muito de acordo com a pessoa que está nesse momento exacto à nossa frente (e ao escrever esta frase, neste preciso local, na exacta posição em que estou, acabo de ter um deja vu… já passaste por isto Rita, por isso vê se aprendes de uma vez por todas!), agimos de acordo com o filme que acabámos de ver, com o a conversa que acabámos de ter, com o que o outro nos transmite a cada instante, agimos de acordo com os medos do outro e com os nossos próprios medos, por isso, lembra-te sempre de te cultivares de coisas boas, lê coisas boas que façam bem à alma, vê filmes bons que façam bem, vê imagens positivas, tem pensamentos genuinamente positivos, está com pessoas positivas ou começa por ser tu uma dessas pessoas, faz o bem, dá miminhos, preocupa-te, cuida, dedica-te, sê alegre e grato, influenciares quem está à tua volta vai acontecer naturalmente.

Mas, sobretudo, não desistas do Amor, com sabedoria.

 

Rita Serra Lopes

Anúncios

One thought on “O resultado das discussões entre enamorados:

  1. És uma inspiração. Pratico ioga há quase quatro anos e tem sido um caminho de constante aprendizagem. De facto aquilo que emitimos é aquilo que acabamos por receber! Encontrei a tua página numa das minhas incessantes pesquisas sobre este “mundo” e acabei por descobrir que estamos na mesma faculdade 😊. Fiquei muito feliz por saber. Um grande beijinho

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s